29 abril. 2019

A nova era do consumo.

Chegou o fim do dia, você quer tomar uma bebida e celebrar o happy-hour. Você é daqueles que simplesmente vai ao seu bar habitual e degusta a sua bebida favorita de sempre. Ou é daqueles que na palma da mão se aventura pelas infinitas opções de bares e happy-hours disponíveis na tela do celular? Alguns saudosistas ainda defendem que nada substitui a sensação de frenquentar os lugares tradicionais de sempre, onde as vezes nem cartão como forma de pagamento é aceito. Porém com a popularização cada vez maior da tecnologia da informação, a cena para esse tipo de empresa fica cada vez mais limitada. Atraído pelas infinitas facilidades do mundo digital, o público consumidor busca a cada dia melhores opções, preços, condições de pagamento, entrega, etc. E nessa busca, as empresas que não se adequam a essa nova realidade, acabam ficando de fora desse novo mundo, que de virtual, não tem nada. Para quem é nascido no Brasil antes dos anos 2000 é fácil se recordar da grande limitação de produtos, marcas e serviços disponíveis no mercado. Os nascidos na era da informática não sabem como poderia ser complicado encontrar coisas simples como: discos de música, eletroeletrônicos, medicamentos, peças de auto, artigos esportivos, dentre outras coisas. Hoje empresas como Mercado Livre, Uber, iFood, Google, Rappi, Facebook, dentre outras, permitem ao consumidor uma maneira mais rápida, transparente e sem burocracia de conseguir o que querem. A cada dia que passa, mais e mais negócios baseados na web são criados e já nascem prontos para atender uma demanda que só aumenta. De acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), é esperado um crescimento de 16% nas vendas do comércio eletrônico no Brasil, para o ano de 2019, em relação ao ano anterior. O volume total de vendas esperado para esse ano chega à R$ 79,9 bilhões. Os números mostram que o futuro do mercado de consumo na internet é irreversível e negar essa realidade é um equívoco. Então fica uma reflexão. O consumidor deseja ser livre, consumir o que ele quiser, a hora que quiser e do jeito que quiser. Logo, adapte-se a isso ou diga adeus a ele.

Por:Leonardo Renales