2ª edição da China International Import Expo

Em novembro de 2019 participamos da 2ª edição da China International Import Expo (CIIE) organizada pelo Ministério do Comércio da China (MOFCOM) e realizada na cidade de Shangai. Estivemos juntos da missão empresarial brasileira promovida pela FIESP, CNI e com o apoio operacional do CTC.
Vista aérea noturna dos pavilhões da CIIE.Foto: Divulgação evento

Nesta 2ª edição a CIIE promoveu, além da feira de exibição segmentados por áreas de negócios, reuniões entre empresas chinesas interessadas em adquirir diretamente produtos importados de outras nações para dentro deste, que é o segundo maior mercado consumidor e importador mundial. Dados mostram que dentro dos próximos 5 anos, a China importará mais de US$10 trilhões de seus parceiros comerciais, para abastecer uma população que só na classe média contará com 400 milhões de pessoas até o ano de 2022 e um PIB per capita de 12,7mil dólares até o ano de 2025. Antes e após a feira a delegação brasileira teve a oportunidade de realizar visitas técnicas em grandes companhias que movimentam o cenário da inovação mundial, o Alibaba Group foi a primeira delas. Nosso grupo brasileiro foi recebido para uma breve apresentação da história do grupo Alibaba, fundado em 1999 pelo professor Jack Ma. Conhecemos uma parte da estrutura da empresa específica para operações B2B, lá tivemos a chance de ver o COO da empresa Jason Dong fazer uma resumida apresentação técnica sobre o funcionamento do grupo como um todo, passando por uma breve explicação do tipo das companhias (AliExpress, TaoBao, etc.) que compõem o grupo Alibaba e algumas particularidades das suas operações. Após a visita ao Alibaba nosso grupo foi levado para conhecer o seu vizinho menos famoso, porém não menos importante. Fomos ao Lian Lian Pay uma fintech fundada em 2003 que hoje é a quarta maior prestadora de serviços de pagamento não bancários na China. A LLP oferece aos seus clientes a opção de pagamento de outros países com destino à China, através de seu sofisticado sistema, que hoje suporta 19 moedas, tem conexão direta, abrange todos os principais bancos domésticos chineses e tem melhores taxas que o mercado tradicional. De rápido crescimento a LLP é também uma das principais empresas de pagamento móvel da China, dedicada e bem posicionada para estabelecer uma rede global com recursos de pagamento e transferência de fundos.

Grupo empresarial brasileiro em visita ao Lian Lian Pay. Foto: Divulgação

Depois dessa intensa troca de informações nas visitas técnicas, foi hora de visitar a feira e sentar nas mesas de negociações. Durante a CIIE, o Bank of China arranjou encontros com empresários chineses de diferentes setores interessados em diferentes produtos e serviços. Começamos nossa participação nos reunindo com uma empresa de agricultura do norte da china, onde pudemos apresentar um fertilizante orgânico brasileiro obtido através da condensação do carvão vegetal, com grande capacidade para diminuir os impactos ambientais negativos e melhorar a qualidade da lavoura. Nossa reunião com esta empresa, representada pelo seu CEO, nos rendeu um acordo verbal de cooperação, além de uma reportagem nos veículos de mídia chinesa, onde o representante da empresa diz ter grandes expectativas nessa nova relação com a Lecex, pretendendo estabelecer uma cooperação a longo prazo. Após este encontro nos sentamos à mesa com uma empresa que processa matéria prima plástica e a transforma em produtos como toalha para mesas, revestimento para mesas, toalha absorvente, dentre outros. Durante a conversa recebemos à nossa mesa a visita de um dos chefes do Bank of China, junto de representantes do governo, para conferir se nossos negócios estavam indo bem. E para alegria de todos, conseguimos assinar um acordo de cooperação bilateral para a venda de matéria prima, o que representa um volume de aproximadamente de 200 containers por mês em exportação de matéria prima brasil-china.

Acordo para exportação de matéria prima do Brasil para a China sendo assinado pela CEO da Lecex Patricia Carcanholo e por representantes da empresa chinesa. Foto: Divulgação

Também participamos de uma rodada de reuniões com empresas da província de Shanxi. Um lugar com mais de 33 milhões de habitantes, com uma grande importância para a economia chinesa. Nos reunimos com uma cooperativa agrícola da região, com grande interesse em começar a exportar para o Brasil um produto típico da sua cultura, que se chama arroz pequeno (XIAOMI). Com grande potencial de aceitação pelo público chinês no Brasil, contém alto valor nutritivo para a saúde, especialmente para mulheres em situação de pós-parto. Durante a conversa fomos interrompidos gentilmente pela TV chinesa para darmos nossa opinião sobre como estava sendo o aproveitamento no evento - o evento estava sendo muito interessante e certamente os acordos fechados aqui são muito promissores - disse a nossa CEO Patricia Carcanholo. Após esse momento, acertamos este novo acordo com essa cooperativa para estudar a viabilidade do seu produto no Brasil, voltado para o público chinês. E acordamos também de enviarmos o nosso fertilizante brasileiro para um estudo na aplicação nas suas lavouras.

Matéria completa de um telejornal chinês com nossa CEO sendo entrevistada. Vídeo: TV SHANXI

Depois de 7 dias de visitas, eventos e reuniões, pudemos ver de perto a importância do mercado chinês para o mundo. Aproveitamos a troca de experiências, tecnologia, informação, cultura e conseguimos terminar nossa participação com um saldo muito positivo, negócios feitos e perspectivas de oportunidades. Agradecemos a cordialidade, alegria e receptividade de um país que tem muito para ensinar e à se integrar ao resto do mundo. Xiexie.